Ligue Para: (21) 4063-7007 ou (31) 4063-7007
Social:
Sua nuvem de negócios...

Edge Computing - A nova etapa no ciclo de IoT

Internet das coisas ou IoT você já ouviu falar? Entenda mais uma etapa dessa evolução no armazenamento e processamento de dados!

O Edge Computing chega em um mundo que está cada vez mais conectado. Atualmente conectamos praticamente tudo em nuvem e conseguimos obter fácil acesso aos dados em qualquer hora e lugar!

Esses dispositivos geram uma enorme quantidade de dados que estão sendo usados para aprender, gerar valor e criar novos modelos de negócio para atender a demanda dos usuários. Para que isso aconteça é necessário realizar o gerenciamento, monitoramento e análise de dados.

O modelo vigente de IOT - Internet das Coisas ou Internet of Things, funciona a partir da nuvem e quanto mais o tempo passa, mais temos dispositivos conectados e isso pode gerar deficiências devido a alta quantidade de dados que trafegam nas redes a cada minuto, para suprir as possíveis deficiências desse aumento exponencial surgiu o Edge Computing, também conhecido como Computação de borda ou Fog Computing.

Nos próximos tópicos você irá entender o que é essa tendência e quais são suas vantagens.

O que é Edge Computing?

O Edge Computing a grosso modo trata-se de pequenos ou micro data centers que processam dados perto de sua origem. É uma mudança na tecnologia de nuvem que consiste em trazer os serviços de processamento de dados para perto de sua fonte.

O objetivo dessa tecnologia é gerar resultados mais rápidos. Sendo assim o armazenamento e a análise de dados não será mais na nuvem e sim nas “bordas” da rede, descentralizando esse processo.


Como funciona?

Para que o mecanismo do Edge Computing aconteça são utilizados os Edges Devices ou Dispositivos de borda, que podem ser qualquer tipo de aparelho que tenha um ponto para uma rede, como por exemplo, roteadores, switches, gateways etc. Esses equipamentos são capazes de processar dados e trazer respostas rápidas sem precisar recorrer a nuvem.

Então o Cloud Computing irá deixar de existir?

Agora vamos entender o contexto onde o Edge Computing está inserido e se ele de fato representa uma ameaça para a Cloud Computing.

No futuro teremos muito mais dispositivos conectados! Além dos celulares, tablets e computadores também teremos o acréscimo de mais objetos cotidianos como utensílios domésticos, mas também teremos grandes equipamentos conectados, como máquinas em fábricas, carros autônomos, drones, prédios com sensores, controle de redes de distribuição elétrica ou de água, enfim, uma cidade inteira pode estar conectada e tudo isso graças a IoT - Internet das coisas.

Para que tudo possa funcionar de forma harmônica e rápida se tornou indispensável um elemento entre nuvem e dispositivos.

Vamos entender as diferenças entre uma tecnologia e outra:

Cloud Computing

Processamento de dados complexos

Armazenamento massivo de dados

Normalmente se encontra longe da fonte de dados

Maior tempo de resposta

Edge Computing

Processamento de dados simples em tempo real

Baixa capacidade de armazenamento

Próximo a fonte de dados

Menor tempo de resposta

Pelas diferenças você deve ter conseguido constatar o quão complementar são essas tecnologias e o quanto o Edge Computing é importante para o desenvolvimento da IoT - Internet das coisas.

Se formos pensar numa estrutura hierárquica o Cloud Computing vem primeiro com o armazenamento e processamento de dados massivos e complexos e abaixo vemos o Edge Computing com armazenamento e processamento em menor quantidade que necessitam de retorno rápido.

Conduzir a inteligência para as “bordas” significa trazer mais rapidez na tomada de decisões e maior agilidade nas respostas de dispositivos, além disso representa uma economia de tempo e recursos já que nem todos os dados serão enviados para processamento na nuvem.


Aplicações e Vantagens

As aplicações de Edge Computing podem se encaixar em cenários variados empresariais ou não, trazendo maior estabilidade, boa conectividade e rapidez para o mundo da IoT - Internet das coisas.

Vamos conhecer algumas aplicações possíveis.

CIDADES INTELIGENTES

Uma cidade inteligente pode diminuir o trânsito e se tornar mais segura! Interessante não?

Imagine só uma cidade onde tudo está conectado, semáforos, redes de distribuição de gás e redes elétricas, com um aparato de sensores é possível diminuir as fatalidades no trânsito, ou simplesmente mudar o semáforo em um menor tempo para que uma ambulância passe rapidamente com seu paciente. Além disso é possível detectar falhas na rede elétrica, de gás ou de água em seu início, diminuindo consideravelmente o tempo de reparo.

Já pensou em um estádio de futebol ou qualquer casa de eventos que tenha um aparato robusto de câmeras para reconhecimento facial? Com o Edge Computing o reconhecimento facial poderia ser feito em tempo real, para que quaisquer eventuais problemas fossem solucionados com a urgência necessária.

Ainda não temos esse nível de sofisticação, mas o futuro da IoT promete ser promissor.

CASAS INTELIGENTES

A solução de Casas Inteligentes ou Smart Homes já vem sendo amplamente discutida e implantada aos poucos. Hoje já existem alguns dispositivos que tornam possível controlar e automatizar algumas funções da casa através de um celular.

O que é ou será possível fazer com essa tecnologia?

A casa inteligente pode climatizar o ambiente pouco antes da sua chegada do trabalho, acender a luz por comandos de voz, acionar todas as fechaduras com apenas um comando,

sincronizar a abertura do portão da garagem com a chegada do seu veículo, tudo isso ao alcance da sua mão.

INDÚSTRIAS INTELIGENTES

O processamento de dados na origem como o Edge Computing também pode ser muito útil na indústria.

Podemos citar como exemplo um sensor que esteja alocado em uma câmara fria, que envie informações para a nuvem apenas em casos específicos, como alguma anomalia na temperatura.

Outro exemplo interessante é quando o processo industrial ocorre em algum lugar que tenha baixa conexão, como uma plataforma de petróleo, os dados podem ser trabalhados localmente emitindo informações sobre o funcionamento do sistema imediato e reportando relatórios de longo prazo para a nuvem.

TRIAGEM DE DADOS E REDUÇÃO DE TRÁFEGO

Uma das vantagens do Edge Computing é a função de intermediário no processamento e envio de informações. Ao gerenciar os processos em um ambiente próximo a origem de dados é possível reduzir o fluxo de dados reportados para a nuvem, ou seja, será armazenado somente o que for relevante, nesse caso o dispositivo funciona como um filtro utilizando uma pedaço menor da banda necessária.

SOLUÇÃO DE CONECTIVIDADE E LATÊNCIA

Com o Edge Computing o volume de dados a serem transferidos diminui e a distância a ser percorrida pelas informações também, sendo assim torna-se possível análises em tempo real devido a menor latência e estabilidade na conexão.

Esperamos que você tenha aproveitado o conteúdo!

Tem alguma sugestão ou dúvida? Deixe seu comenário a Ligou.me se interessa pela sua opinião.






Termos Relacionados: EDGE COMPUTING IOT INTERNET DAS COISAS CLOUD

Compartilhe Este Conteúdo:

Artigos Relacionados

Pesquisar no Blog



Comentários

Entre em Contato
  • Endereço: Av. João Samaha, 1385, Sala 103 Bl 01, São João Batista
    Belo Horizonte/MG - CEP: 31.520-100
  • Telefones: (31) 4063-7007 | (21) 4063-7007
  • Email: comercial@ligoume.com.br
  • Chat - Seg. às sex.: 9:00 às 19:00
    Telefone - Seg. às sex.: 9:00 às 18:00
Diga Olá! :)

« Grupo BHG / Ligou.me ». ©Todos os direitos reservados 2015.